A importância de enxergar a outra pessoa assim como ela é

Ontem ao visitar uma Paróquia, durante a viagem me chamou atenção UM PINHEIRO – ARAUCÁRIA – TORTO.

Eu conheço os pinheiros brasileiros – araucárias – desde criança. Estão entre as árvores mais retas, imponentes e altas que conheço. Gosto tanto da beleza dessas árvores que mesmo no Goiás eu plantei algumas no quintal de casa. Por isso mesmo me chamou muita atenção ao ver ao longe, ao lado da rodovia, AQUELE PINHEIRO TORTO.

Não tive dúvidas, parei o carro e fotografei, porque na mesma hora me veio a imagem do que muitas vezes faço da pessoa humana: QUERO VER A PESSOA COMO IMAGINO QUE DEVERIA SER E NÃO COMO ELA REALMENTE É.

Não é porque mais de 90 por cento dos pinheiros são retos, que um pinheiro torto deixe de ser pinheiro e até possa produzir muito mais pinhões que um pinheiro bem retinho.

Não consegui chegar suficientemente perto do pinheiro torto porque é de difícil acesso, mas perguntei a um senhor que trabalhava lá próximo se aquele pinheiro torto também produzia e ele me disse. LÓGICO, é um pinheiro como todos os outros pinheiros, só é DIFERENTE, é TORTO e está no meio das rochas e pedras, mas produz igualzinho a todos os outros.

Muitas vezes é assim que avaliamos as outras pessoas.

Queremos que todas sigam um mesmo padrão, não aceitamos seus “defeitos”, suas “imperfeições” ou daquilo que foge um pouco do que imaginamos que deveriam ser e do COMO deveriam ser.

Aceitar a outra pessoa como ela é e a partir do que ela é, ver suas qualidades, virtudes e boas ações que pratica, às vezes muito mais do que “as pessoas retinhas” e APARENTEMENTE perfeitas.

Se tivesse tido tempo e acesso até aquele pinheiro ou se pudesse ter falado com quem viu aquele pinheiro TORTO desde que ele nasceu, talvez soubesse de alguma violência que sofreu, mas resistiu, talvez tenha sido meio quebrado com algum temporal, talvez um fogo que passou, ou sei lá qual a HISTÓRIA de sua vida, EU PODERIA ATÉ ADMIRAR MUITO MAIS SUA BELEZA TORTA, MAS RESISTENTE e apesar de tudo sendo altamente produtivo.

Será que nós antes de pôr defeitos e criticar as outras pessoas, TOMAMOS TEMPO PARA OUVIR SUA HISTÓRIA DE VIDA? Se conhecêssemos as dores, sofrimentos, violências, ambiente familiar adverso, falta de oportunidades que tiveram E MESMO ASSIM RESISTIRAM, NUNCA DESANIMARAM, e mesmo “TORTOS” no nosso olhar e conceito, permanecem FIRMES E VITORIOSOS. Talvez assim ao invés de criticá-los os admiraríamos.

Deus me dê e nos dê um olhar de AMOR, mais que um olhar de JULGAMENTO PARA COM O PRÓXIMO.

  • Guilherme Antonio Werlang

Julinho Zanatta

Pastoral da Comunicação - PASCOM

%d blogueiros gostam disto: