São Pio I, papa e mártir (A.D. 155)

S. Pio I sucedeu a S. Higino na cátedra de S. Pedro, e o Lzber Ponüficalis afirma ter sido ele filho de um certo Rufino e natziral de Aquiléia. Algumas autoridades dizem mais, que ele era irmão de Hermas, que escreveu a
famosa obra intitulada O Pastor. Se o relato em si, apresentado pelo autor, neste livro, não passa de uma simples ficção piedosa, e se o seu relacionamento com o papa é verdadeiro, então, S. Pio I, além do mais, teria
nascido escravo.

Durante o seu pontificado, a Igreja Romana era abalada pelas heresias conjugadas dos Valentinianos e dos Marcion ítas Assim sendo, o Papa Pio I teve que se opor energicamente a essas heresias, e, nessas controvérsias, a verdadeira fé teve um grande defensorno judeu convertido, S. Justino Mártir, que nessa época se encontrava em Roma. S. Pio ordenou doze bispos e dezoito sacerdotes, e conta-se que ele transformou as Termas de Novato num lugar de adoração. O fato “de ser ele venerado como mártir parece que se deve atribuir ao cardeal Barônio: não há referências anteriores a respeito de seu martírio.

Julinho Zanatta

Pastoral da Comunicação - PASCOM